(48) 3028-7070
Ortopedia e Cirurgia da Coluna

Artrodese lombar minimamente invasiva

Por Gustavo. 18 de janeiro, 2015. Comente este post

Utilizando uma tecnologia inovadora, a artrodese lombar minimamente invasiva ou fusão entre duas vértebras através de pequenas incisões na pele, pode agora ser realizada com mínima agressão as parte moles, músculos e ligamentos da coluna. Ao invés do tradicional acesso único na linha mediana, com descolamento importante dos músculos, o que muitas vezes provoca dor na região da cirurgia após o procedimento, a artrodese minimamente invasiva é realidade com duas pequenas incisões, cerca de 2-3 cm lateralmente a linha média, com cerca de 3 cm longitudinal cada uma, com abordagem por separação trasmuscular sem promover agressão e sangramento importante.

Abordagem tradicional na linha mediana

Abordagem tradicional na linha mediana

As diferenças entre as abordagens tradicional e a minimamente invasiva

As diferenças entre as abordagens tradicional e a minimamente invasiva

 

SOBRE AS FUSÕES ENTRE AS VÉRTEBRAS

As técnicas de artrodese podem ser exclusivamente posteriores, com utilização de parafusos pediculares, ou associadas a fusões na região anterior da vértebra (entre os corpos vertebrais), conhecidas por fusões intersomáticas. Para estas, existem as técnicas PLIF (posterior lombar interbody fusion) e TLIF (transforaminal interbody fusion), basicamente variando conforme o acesso para a fixação na região anterior entre os corpos vertebrais, se realizadas bem posteriormente ou se mais lateralmente próximo ao forame intervertebral. A grande vantagem das técnicas menos invasivas é que todos as etapas das cirurgias de artrodese de coluna lombar acima descritas podem ser realizadas com menor agressão, com auxílio de retratares e afastadores modernos que auxiliam no procedimento, conforme figura abaixo.

Acesso menos invasivo com retratares tubulares, menos agressivos

Utilização de afastador para realização do procedimento menos invasivo

O MIS-TLIF (minimally invasiv surgery – transforaminal interbody fusion) é portanto uma técnica que pode ser realizada para acessar um ou dois disco intervertebrais, pode ser realizada no tratamento de espondilolistese, doenças degenerativas da coluna, hérnia de disco lombar, quando o procedimento de fusão está indicado. Diferentemente da cirurgia tradicional promove menor sangramento e recuperação mais rápida, e os pacientes já caminham no mesmo dia do procedimento.

Dr. Gustavo Carriço realiza o MIS-TLIF desde 2012, após estágio no London Bridge Hospital com Dr. Khai Lam.

Tratamento cirúrgico de hérnia de disco, cirurgia minimamente invasiva.

Tratamento de dor lombar, médico especialista de coluna em Florianópolis, Santa Catarina

404
Dr. Carriço - Clínica da Coluna Vertebral, R. Idalina Pereira dos Santos, 67, sala 406, Agronômica, Florianópolis/SC, Fone 48 3028-7070
Horário de atendimento: 08:00 às 12:00 e 13:00 às 17:00